TPM e Inteligência Emocional

Começando do começo: a TPM é um fenômeno biológico que acontece antes da menstruação, devido à oscilação de hormônios (em especial o estrogênio, mas vamos deixar essa parte para os médicos explicarem), o que impacta em nosso sistema nervoso e gera ALTERAÇÕES DE HUMOR.

Essas alterações podem ser das mais variadas, mas as mais comuns são:

  • Melancolia: desânimo, insegurança, isolamento. 
  • Irritabilidade: impaciência,impulsividade, grosseria. 

Pense bem: NADA na natureza acontece só para “ferrar com a gente”. Existem ótimas razões para nós, mulheres, passarmos por essa fase.

O que a TPM faz com seu cérebro é mudar a sua PERCEPÇÃO da realidade.

A realidade é a mesma: as pessoas estão idênticas, seu trabalho está idêntico, o trânsito está idêntico, os seus problemas estão idênticos… mas VOCÊ está PERCEBENDO a realidade de uma forma diferente.

A TPM seria um momento ideal de resguardo, para reavaliar alguma situação, olhar com profundidade para algum problema, ou então para agir de forma mais intensa, mais assertiva.

Infelizmente, nem sempre podemos nos dar esse espaço. E é aí que está o problema…  

Mesmo quando estamos de TPM, a vida segue seu ritmo. Você não pode deixar de trabalhar por 2 dias por sentir que está mais introspectiva. Você vai irritar um colega de trabalho se for “direta demais” com ele.

É preciso se adaptar. E isso também é INTELIGÊNCIA EMOCIONAL.

Então, como lidar com a TPM?

  • Se seu ciclo for ajustado, identifique os dias que você estará de TPM para “se preparar”. Tem até aplicativo para isso.
  • TUDO começa na auto-observação: quais são as primeiras sensações que te indicam que a TPM chegou? Fique atenta e sinalize a si própria: “isso está com cara de TPM…”.
  • Não acredite em tudo que você pensa. Lembre: sua percepção vai estar alterada. A cada pensamento melancólico ou irritadiço se permita um segundo ponto de vista. Repense.
  • Postergue atitudes importantes (se possível). Pode ser que dê vontade de agir de forma inesperada ou tomar grandes decisões, mas vale a pena esperar essa onda passar… Eu particularmente penso assim: “se isso ainda for um problema daqui a 3 dias eu resolvo”.
  • Se conheça. Use todas as ferramentas que fizerem sentido para você, o importante é dedicar tempo e energia ao autoconhecimento: suas emoções, seus pensamentos, seus dilemas…
  • Faça o que te faz bem (e ninguém sabe melhor do que você)! Se cuide, se divirta, descanse.
  • Para as pessoas da convivência íntima, pode ser legal sinalizar: “olha, tô de TPM”. A outra pessoa vai buscar equilibrar essa relação. Mas… não vale achar que isso é justificativa para fazer o que der na telha.
  • Acredite que esse esforço “mental” é POR VOCÊ, e não pelos outros!

O meu trabalho sobre inteligência emocional aborda a perspectiva mental da TPM, mas muitos outros profissionais podem te ajudar: médicos, psicólogos, terapeutas alternativos, etc…

Espero ter contribuído!

Conte comigo.

Cecilia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima