Ser otimista dá sorte?

Vamos imaginar a seguinte situação: o país está em crise e uma empresa passa por um grande corte de funcionários, entre eles, Marcelo e Carlos.

Marcelo assume sua parcela de responsabilidade nesse cenário e decide colocar esforços no que está ao seu alcance. “Vamos lá, o que eu posso fazer agora?” Atualiza seu currículo, ativa sua rede de contatos, diminui a expectativa salarial no curto prazo e se cadastra para diversas vagas. Ao longo das semanas, passa por entrevistas, algumas melhores e outras piores, e tenta aprender com cada uma delas.

Enquanto isso, Carlos se lamenta. “Poxa, que pena. Se não fosse a crise, eu estaria em uma ótima situação profissional.” Não toma nenhuma atitude direcionada, já que todas as empresas estão nesse cenário e seria muito difícil conseguir alguma coisa no momento.

Passadas algumas semanas, Marcelo recebe a boa notícia de que seria contratado! Carlos, ao saber da notícia, reage com surpresa: “Cara, que sorte!”

Será que foi sorte? E sorte existe? Bom, sabemos que muitos dos acontecimentos tem razões “aleatórias”, como a loteria, por exemplo. Mas, para ganhar na loteria é preciso ter jogado. Por isso, por mais que as circunstâncias aleatórias tenham peso em nossas vidas, elas não são definitivas, nem de maior peso.

Os estudiosos da Psicologia Positiva conectam nossa ideia de “sorte” com o otimismo: um estado mental que define a forma com que explicamos os acontecimentos a nós mesmos – e nos leva a tomada de decisão. No nosso exemplo de Marcelo e Carlos, ambos passaram pela mesma experiência, mas a analisaram de formas bem diferentes – o que os levou a agir de formas diferentes, também.

Nosso senso comum, muitas vezes, rotula o otimista como aquele que não vê o problema. Na realidade, não é esse o caso: o otimista vê o problema, mas vê a solução. Na prática, ter um estilo mental otimista nos leva a tomar decisões que nos aproximam da sorte, ou seja, de resultados positivos. Essa é uma habilidade que, em certa parte, é inata, mas, como todo o comportamento humano, pode ser desenvolvido pela experiência – ainda bem!

2 comentários em “Ser otimista dá sorte?”

  1. Exatamente isso que penso, não existe sorte, o que existe é um conjunto de acertos e de atitudes positivas, os quais trazem algum retorno positivo.
    Eu, por exemplo, Amo muitoooooooo o meu trabalho e faço tudo com muita dedicação e Amor e procuro atender os clientes sempre da melhor forma possível e confecciono as peças como se fossem mim mesma.
    E depois de um tempo passei a ganhar muitos elogios e muitos presentes.
    Então não é sorte.
    É semente plantada.
    É esforço.
    É dedicação.

    Pq na verdade muitos só querem viver o resultado final, mas não querem percorrer o caminho, que todas os seus desafios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima