Nós somos nossas decisões diárias

…mas com base em que decidimos?

Você comeria o doce?

Em uma experiência famosa, conhecida por Teste do Marshmallow, cada criança recebia um marshmallow, com a explicação: “você pode comer o doce, mas se esperar 15 minutos, ganhará dois doces”.

Dois terços das crianças comeram o doce. O outro um terço resistiu: elas criaram estratégias, como fechar os olhos e cantar, e receberam os dois doces.

Os cientistas acompanharam o crescimento das crianças e descobriram que as que aguardaram os 15 minutos, tinham melhores desempenhos em diversos aspectos da vida: acadêmico, pessoal, social. O que isso quer dizer?

Recompensas!

Todas as nossas decisões são em busca de recompensa. Nosso cérebro equilibra, a cada instante, duas grandes redes: uma a favor de recompensa imediata e outra a favor de recompensa futura. A cada decisão que tomamos, uma delas sai vencedora.

O autocontrole, ou seja, a capacidade de adiar recompensas, é considerado hoje uma das habilidade mais importantes para o sucesso na vida, não só na carreira, como comprovado pelo Teste do Marshmallow.

Quando decidimos comer um brigadeiro ou assistir a uma série, buscamos o benefício imediato. Quando optamos por seguir a dieta ou estudar, visualizamos o benefício futuro.

Como desenvolver essa habilidade?
O autocontrole é limitado. Imagine que todos os dias você sai de casa com uma garrafinha cheia. A cada situação desafiadora, você dá um gole. Se alguém te fecha no trânsito, você se controla para não gritar. Se alguém te oferece batata frita, você se controla para não comer. Se seu chefe faz um comentário maldoso, você se controla para não revidar. Ao fim do dia, sua garrafinha já está quase vazia. Nesse ponto, tudo vai parecer mais difícil, e talvez você fraqueje.

Pra lidar melhor com isso, aqui vão algumas dicas:

  • Evite situações desnecessárias que vão te exigir autocontrole: quando possível, não se exponha a tentações.
  • Crie estratégias: se conheça e perceba o que te mantém no trilho!
  • Busque recompensas ao longo do processo: comemore pequenos objetivos dentro de um grande objetivo.
  • Pratique atividades que enchem a sua garrafinha: o que faz você se sentir mais forte?

Como a maioria das situações, nenhum dos extremos é saudável: viver apenas de impulsos inviabiliza qualquer objetivo e viver apenas de obrigações suga o prazer da vida. Chegar em um meio termo que te deixe satisfeito, no curto e no longo prazo, é o grande desafio!

3 comentários em “Nós somos nossas decisões diárias”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima