Maturidade profissional: você está agindo como adulta em sua carreira?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

A falta de maturidade profissional tem impactado negativamente a carreira, as relações e, consequentemente, as finanças de muitas pessoas. Mas, para evitar que isso aconteça com você, vou te contar quais são os sintomas desse problema e como resolvê-lo! 

Adultez Emergente

Já ouviu alguém falando “quando eu tinha a sua idade eu já tinha três filhos, um apartamento, financiamento e responsabilidades”? Essa frase é muito comum porque, de fato, houve um descolamento temporal na passagem para vida adulta. 

Antes era mais ou menos assim que as pessoas se desenvolviam: começava na infância, depois vinha a adolescência, a vida adulta – que iniciava aos 18 anos -, à velhice, etc. É bem provável que seus pais tenham passado por essa linha do tempo, assim como seus avós e seus demais ancestrais.

Nas últimas décadas, houve uma mudança nessa linha do tempo, entre a adolescência e a vida adulta, sendo criado outro período chamado de Adultez Emergente (tradução livre de Emerging Adulthood), conceito fundado pelo psicólogo e pesquisador Jeffrey Arnett.

A adultez emergente é uma fase de transição entre a adolescência e a vida adulta, ocorrendo entre os 18 e 29 anos. Nesse período as pessoas começam a sentir certa autonomia, passando a assumir algumas responsabilidades e usufruir dos benefícios de ser adulto, porém elas ainda não se sentem 100% adultas.

Por que quando meus pais tinham 25 anos eles tinham uma vida tão diferente da que eu tenho hoje? Houve 4 revoluções responsáveis por essa mudança: 

  • Revolução tecnológica 

A Revolução Tecnológica foi responsável por uma profunda mudança nos empregos e, consequentemente, no mercado de trabalho. Os trabalhos exigiam mais esforço braçal e muitas profissões não exigiam conhecimento técnico. Então, é muito comum que agora, para exercer uma profissão ou conseguir um trabalho, você precise de mais conhecimento e preparação do que antes. 

Assim, é frequente as pessoas fazerem curso técnico, faculdade, pós, etc. antes de entrar no mercado de trabalho, tendo em vista que as profissões exigem um nível tecnológico mais complexo por conta da economia da informação.

  • Revolução sexual

A pílula anticoncepcional foi um marco muito forte na liberdade das mulheres. Basicamente o fato de ter acesso às pílulas anticoncepcionais fez com que as mulheres não engravidassem tão cedo, então elas não precisavam necessariamente assumir essa responsabilidade tão cedo e, consequentemente, os homens também.

A revolução sexual também impactou na formação das famílias, antes as pessoas exploravam a sexualidade por um tempo mais curto antes de se casarem do que hoje. Postergar a formação de uma família, posterga também as responsabilidades e, consequentemente, o processo de amadurecimento.

  • Revolução feminista 

A revolução sexual permitiu que as mulheres começassem a trabalhar e ter outros sonhos que não estavam vinculados à formação da família. Então, se hoje é possível que uma mulher seja CEO, apesar de ser menos comum do que a gente gostaria, antes essa possibilidade nem mesmo existia. Assim, as mulheres puderam galgar objetivos profissionais, de estilo de vida e ambições pessoais que elas não tinham. Nós como mulheres queremos explorar a nossa liberdade antes da gente criar grandes responsabilidades.

  • Revolução jovem

Perdemos um pouco da idolatria que a gente tinha pelos mais velhos, como figuras de autoridade e sabedoria, havia um imaginário de que a vida dos adultos era muito melhor que a vida das crianças. O papel da criança era o de obedecer, ficar calado e respeitar os mais velhos, embora fosse aquele respeito muito voltado para autoridade e para hierarquia.

Embora essa revolução não seja percebida por muitas pessoas, o advento da tecnologia, o capitalismo, a globalização, dentre outros processos sociais, mudaram nossa visão sobre os mais velhos, enxergando-os, muitas vezes, como ultrapassados e obsoletos. 

A Revolução Jovem ocorreu quando os jovens perceberam que era maravilhoso ser jovem e entendeu que não tem razão para ter pressa de se tornar adulto. Enquanto você é jovem dá para fazer bobagem, se divertir, se sentir livre, explorar a vida, etc. Assim, os jovens perderam um pouco dessa submissão que eles tinham em relação aos mais velhos e a urgência de se tornarem adultos e assumir responsabilidades.

Características da adultez emergente: 
  • Exploração da identidade: nessa fase é muito comum que as pessoas se façam as seguintes perguntas:

Quem sou eu? 

O que eu  amo? 

Quais são os meus talentos?

Qual o meu propósito?

  • Instabilidade:dificuldade de se comprometer com alguma coisa muito forte. Então, é muito comum que haja mudança de opinião, pois ela ainda não possui uma identidade formada.
  • Autofocus ou Foco em Si: essa característica não chega a configurar um egoísmo, mas pessoas na adultez emergente costumam se colocar no centro da sua vida, ignorando ou tendo dificuldade para enxergar a perspectiva de outras pessoas, para pensar: 

O que eu quero para minha vida?

O que eu preciso?

Qual o meu sonho?

O que é importante para mim?

  • O sentimento de “in-beetwen”: este é um termo em inglês que não tem uma tradução literal, mas quer dizer que a pessoa não está em uma posição nem em outra, ela está às vezes em uma posição e as vezes na outra. Uma boa tradução seria as expressões “nem lá, nem cá” ou “em cima do muro”. Basicamente ela quer dizer que a pessoa na Adultez Emergente está, às vezes, nas adolescências e, às vezes, na adultez.
  • Percepção de possibilidades múltiplas: atualmente, existe uma SENSAÇÃO de que podemos tudo. Eu posso estudar tudo que eu quiser, eu posso ter todos os trabalhos do mundo e, se eu posso ter todos os trabalhos do mundo, eu acabo caindo no paradoxo da escolha – Quanto mais opções temos, menos escolhemos – e não escolho nenhum trabalho.

Pensando nessas características e realizando uma autoavaliação, você tem os traços da adultez emergente? Estar na adultez emergente e não saber pode ser um problema, mas ter consciência que está nessa fase pode ser o primeiro passo para sua mudança!

Frases comuns de pessoas que estão na Adultez Emergente:
  • “Sonho em fazer tal coisa, mas não sei como” 

Essa questão pode, facilmente, ser respondida com uma rápida pesquisa nos sites de busca (google, youtube, etc), em cursos gratuitos na internet, em blogs, etc. Qualquer coisa que as pessoas da nossa geração não sabem, elas pesquisam no Google.

Parar na primeira dúvida é uma atitude infantil, sabe as crianças na “fase do por que?” Elas estão sempre esperando alguém responder suas perguntas, mas você já é adulta, já pode responder suas próprias questões e, quando isso não for possível, busque ajuda de alguém com esse conhecimento. 

  • “Quero trabalhar com a minha vocação”

Ser sonhadora e ter vontades genuínas, profundas, mais ilusórias e mais bonitas são características típicas da criança. O adulto, por sua vez, já foi moldado pelas pancadas da vida e já pôde perceber que não é possível viver APENAS de sonho, mas podemos trabalhar para trazer nossos sonhos para nossa realidade.

Muitos adultos emergentes postergam suas responsabilidades porque ainda não encontraram sua vocação. Então, enquanto eu não sei qual é o melhor trabalho do mundo, vou continuar sem fazer nada.

Essa frase tem muito a ver com a com a frase anterior, pois reflete uma visão muito sonhadora do trabalho, com baixo nível de auto responsabilidade e com essa possibilidade postergar o processo, a pessoa continua postergando as decisões. Enquanto não sei do que gosto, vou ficar aqui esperando uma coisa melhor acontecer sem que eu precise agir.

  • “Todo mundo consegue menos eu” 

Já reparou como as crianças quando reclamam, falam exatamente assim? A verdade é que não é todo mundo que consegue, não temos como saber se você vai conseguir, mas só tem UM jeito de saber se você consegue: TENTANDO.

  • “Já tentei várias coisas e desisti”

Essa frase reflete a instabilidade e indecisão da pessoa que está “in-between”, ou seja, em cima do muro. Essa pessoa é aquela que tenta várias coisas, mas não consegue nada porque não persistiu em nada, desistiu depois da primeira dificuldade ou quer um resultado rápido. 

Se para alcançar um determinado objetivo eu preciso de um determinado pacote de dedicação e eu divido a dedicação entre várias coisas, é claro que nenhuma dessas coisas vai dar certo porque para uma coisa dar certo, ela precisa de foco. Você está adiando a sua vida adulta cada vez que você desiste de uma coisa na metade.

  • “Meus pais não me apoiam” 

Um adulto não precisa mais do apoio dos pais. É muito LEGAL ter o apoio dos pais, eu quero que os meus pais me apoiem nas minhas decisões. Mas eu não PRECISO do apoio dos meus pais para nada, nem emocionalmente.

Se eu precisar desagradar os meus pais, eu vou desagradar, mas isso só é possível porque eu saí da adultez emergente e me tornei realmente adulta assumindo todos os ônus e bônus dessa fase da vida.

Os 3 marcadores da Adultez:

Os 3 Marcadores da Adultez vão possibilitar que você faça uma autoavaliação do que está faltando de atitude para você se tornar adulta. Assim, você poderá montar um plano de ação do que precisa mudar para ficar mais próxima da adultez e da liberdade de poder escolher e da independência que falamos.

Tomar decisões independentes
  • Tomar decisões independentes não quer dizer que você só pensa em você ou despreza opiniões de terceiros. Ser adulto quer dizer que você vai ouvir opiniões diversas, mas você vai filtrar o que faz sentido para você.
  • Quando uma adulta não sabe algo ou tem uma dúvida, ela vai em busca da solução. Portanto, você não ficará mais esperando as respostas chegarem até você, mas irá em busca delas e o Google está aí para te ajudar. 
  • Postergar uma decisão não torna ela mais fácil e os adultos sabem disso.  
  • Considerar não apenas o que é melhor HOJE na hora de tomar uma decisão, mas o que é melhor no FUTURO
Se responsabilizar pelas suas atitudes 
  • Só você vai conviver com as consequências das suas atitudes. Então, tudo bem se seu pai acha que você deve fazer uma coisa, sua mãe acha que deve fazer outra e assim por diante, pois na prática  é SOMENTE VOCÊ que vai lidar com as consequências do que fizer. Então, você precisa se responsabilizar pelas suas atitudes.
  • Lembrando que as atitudes abrangem também o que você DEIXA DE FAZER. Tudo que você deixa de fazer vai criar uma série de consequências e só você vai lidar com elas.
  • Deixe o VITIMISMO de lado. Ele pode funcionar bem para as crianças, mas não adianta nada uma adulta colocar a culpa nas outras pessoas, pois não vai solucionar suas questões, além do vitimismo ser uma atitude imatura.
  • Às vezes, na adultez emergente você tem certa liberdade e autonomia para tomar algumas decisões, especialmente relacionadas ao lazer, mas suas escolhas e atitudes vêm acompanhadas de uma culpa. Então, há um prejuízo, pois você ainda não está conseguindo ser adulta nessa responsabilização do que fazer. Se seu lazer vem acompanhado de culpa é porque você ainda não conseguiu compreender essa etapa da responsabilização pelas suas atitudes.
Ter independência financeira 
  • Ser adulto é muito mais do que fazer 18 anos, ser adulto é conseguir arcar com a própria vida. Logo, sem independência financeira não existe vida adulta.
  • Às vezes, a gente pensa tudo bem, não tenho dinheiro para fazer aquilo, porém mais importante do que fazer a análise não tenho dinheiro, é você se perguntar como eu vou ter aquele dinheiro. isto é, se a coisa for importante para você de verdade. Então, se eu quero muito conseguir a coisa, a pergunta que devo fazer é: como eu vou ter esse dinheiro?  A resposta para essa pergunta pode envolver pensamentos de longo prazo, por exemplo, talvez você não faça intercâmbio amanhã mas se você se planejar um dia você vai fazer intercâmbio 
  • Dinheiro não é só dinheiro, dinheiro é: liberdade; poder de decisão, poder de dizer não, etc. Se você ainda não é 100% independente, o importante é que você esteja caminhando para isso, que vocês tenha um plano para resolver isso o quanto antes 

Depois dessa autoavaliação, a que conclusão você chegou? Se você ainda está na adultez emergente, chegou a hora de pensar o que você pode fazer para sair dela? Use os marcadores da adultez como parâmetro do que é necessário mudar na sua vida para se tornar uma adulta.

Resumindo…

Se você quer o lado maravilhoso de ser adulto, você precisa ASSUMIR o lado difícil. O lado maravilhoso de ser adulta é a independência nos seus diversos âmbitos – financeira, emocional, pessoal, liberdade, etc. -, a liberdade, deixar de dar satisfação e depender da aprovação das pessoas.

Contudo, se você quer aproveitar o lado incrível de ser adulta, você vai precisar assumir as responsabilidades, a parte difícil, a parte que assusta, que dá medo, que cansa, etc. Você está disposta?