Desista de DESCOBRIR o seu propósito

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Trabalhar com propósito pode dar mais satisfação a sua vida, mas o que nunca te contaram é que a busca de um trabalho com propósito tem algumas armadilhas e talvez por isso você ainda não “descobriu” o seu.

  • Primeira armadilha: achar que você só tem UMA missão na Terra e ficar aguardando por ela 

O seu trabalho não é necessariamente a sua missão na Terra. Inclusive, o trabalho nos moldes que vivemos na sociedade atual foi uma invenção humana, então não é para isso que você nasceu. Com certeza você tem a missão de ser uma pessoa boa e cada vez melhor, amar e ser amada. 

Desse modo, não devemos atrelar o nosso sentido da vida ao nosso trabalho. Se fosse assim, consideraríamos que uma criança, um idoso ou até uma mãe dona de casa não teriam uma missão na Terra, pois suas atividades não atendem ao conceito de trabalho que a gente conhece. 

Vários outros aspectos da sua vida, além da sua carreira, devem fazer parte da sua “missão na Terra”, combinado? Seu primeiro exercício é tentar descolar o senso de identidade do seu trabalho. 

  • Segunda armadilha: comparar o impacto do seu trabalho com o impacto do trabalho de outras pessoas

Talvez você tenha um trabalho regular e cumpra uma série de atividades para resolver algum tipo de problema em uma empresa. Talvez você venda algum produto ou serviço. Talvez você compare o impacto do seu trabalho com pessoas que salvam as baleias ou ajudam milhões de pessoas diretamente. 

A gente não deve comparar o trabalho e o propósito de uma pessoa com o de outra. Existem arquitetas que sentem propósito no seu trabalho e outras não, assim como, existem secretarias que não vêem sentido em seus trabalhos e outras que veem propósito naquilo que elas fazem. 

O propósito não está na atividade em si, mas na visão que você tem sobre o seu trabalho! Absolutamente todo trabalho gera alguma contribuição, então pense qual contribuição você tem gerado com o seu. 

  • Terceira armadilha:  focar nas suas falhas ao invés de aproveitar os seus talentos 

Quando você busca um trabalho que tenha sentido para você, necessariamente vai entrar no processo de autoconhecimento profissional e este processo vai te mostrar, também, os seus pontos fracos, ou seja, aquilo que você não é boa, não desenvolveu.

Então, você corre o risco de colocar um holofote nas suas falhas, ficando completamente obcecada por elas e esquecer todos os seus talentos e dos seus pontos fortes. 

Um aspecto essencial da nossa sensação de propósito é a gente sentir que a gente está usando o que a gente tem de melhor. Eu diria que está entre as coisas mais importantes para você ter sentido propósito é ter um trabalho que use suas características positivas. Portanto, o trabalho desenvolve as suas aptidões, é como se estivesse pegando o que você tem de melhor, te ajudando a treinar seus talentos ao longo do tempo e  te fazendo progredir.

Então, ao invés de focar nas suas falhas busque trabalhos que usem os seus pontos fortes e os seus talentos.

  • Quarta armadilha: acreditar que trabalho precisa ser muito sofrido, difícil e pesado 

Em alguns momentos da sua vida profissional talvez você entre em flow, ou seja, você tá indo super bem em uma atividade você tá alcançando resultados e até o seu trabalho está super alinhado com o resto da sua vida. Então, você encontrou um equilíbrio legal.

Muitas pessoas quando vivem esse tipo de sensação começam a pensar que tem alguma coisa errada, pensam “nossa, mas agora eu tô conseguindo, tá tudo bem, tá tudo agradável, Será que eu tô na zona de conforto?  Será que eu tô fazendo alguma coisa errada?”

Isso acontece, pois aprendemos que trabalho é sofrimento e obrigação, apenas. Óbvio que trabalho é uma obrigação, mas ser uma obrigação é apenas UMA das características do trabalho. O trabalho também pode ser leve e prazeroso

O segundo exercício que te proponho é: faça uma retrospectiva dos momentos profissionais que fizeram você se sentir bem, com certeza eles vão te dar boas dicas sobre seu propósito.

  • Quinta armadilha: desistir dos seus sonhos porque eles estão longe demais 

Talvez você saiba, lá dentro de você, qual é o “trabalho dos seus sonhos”, mas não queira aceitar porque você ainda não tem o que é necessário para ele, seja em termos financeiros, intelectuais, práticos, ou qualquer outra limitação. 

Se a sua realidade HOJE te impede de realizar seus grandes objetivos exatamente agora, tudo bem, acredite no poder do longo prazo. O tempo VAI PASSAR e, depois que passar, vai ser muito melhor se você olhar para trás e falar: “eu fiz várias coisas que foram mudando a minha realidade e é por isso que hoje eu consigo ter esse trabalho com mais propósito e sentido!”. 

Para te ajudar nesse processo vou te propor o terceiro exercício que é fazer um mural dos sonhos.

  • Sexta armadilha: se culpar por ganhar dinheiro no seu trabalho com propósito 

Existe um MITO na nossa sociedade que quem trabalha com o que ama não deve ganhar dinheiro. Esse mito é ainda mais fortes em profissões que ajudam, diretamente, outras pessoas.

Você que tem um trabalho com propósito, que ama o seu trabalho, que vê sentido nele e se sente ótima, em geral, com seus resultados profissionais, você também MERECE ser muito bem remunerada. Se não, será só um hobby – e não tem nenhum problema em ter hobbies, ok? Só não confunda com trabalho! 

Talvez você conheça alguém que amava o trabalho, tinha muito propósito em exercer, mas que desistiu de seguir em frente porque não era bem remunerada como desejava. Ou seja, o propósito precisa ser sustentado pelo dinheiro para continuar existindo! 

  • Sétima armadilha: esperar o dia que você vai DESCOBRIR o seu propósito

Acredito que essa seja a armadilha mais importante e a mais perigosa. Aqui você tem que prestar muita atenção para não cair

Você não vai descobrir o seu propósito, você vai ESCOLHER o seu propósito. Parece bobagem, mas faz muita diferença. 

As pessoas que querem descobrir o seu propósito normalmente têm uma visão e uma atitude passivas diante da sua própria carreira, ficam esperando uma “ideia genial”, ou um “sinal”, uma “confirmação”, enquanto o tempo passa.  

Se você acredita que não se conhece o suficiente ou ainda não teve nenhuma oportunidade, mas continua sentadinha esperando descobrir o propósito, como se fosse chegar em um unicórnio de presente para você, não é assim que as coisas funcionam. 

Se você quer ter um trabalho que te dê senso de propósito, você vai ter que escolher, com base no autoconhecimento que você tem hoje e no seu estudo de mercado das possibilidades de trabalho disponíveis para você.

Você vai fazer a ESCOLHA mais consciente que você PUDER, ou seja, uma Escolha Cuidada, e se comprometer com ela. Só então você construirá esse trabalho ao longo da sua carreira e vai ter o seu senso de propósito porque você ESCOLHEU aquele trabalho. Você vai ter uma atitude ATIVA diante da sua carreira.

Agora que você já conhece as armadilhas da busca de um trabalho com propósito, te indico o artigo 5 Passos para Trabalhar com Propósito.