Mudar de profissão: como fazer uma transição de carreira em 7 passos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

A vontade de mudar de profissão tem se tornado cada vez mais comum.

Nós, humanos, colecionamos experiências e em um mundo em que tudo muda muito rápido, tudo vira tédio em um piscar de olhos. Além disso, passamos quase 1/3 da nossa vida no trabalho, assim, é muito difícil viver tanto tempo fazendo algo que não gosta. Desse modo, mudar de profissão não significa que você falhou na sua carreira atual.

Para as recomendações abaixo, estou considerando que você já DECIDIU qual é a nova carreira que deseja seguir ou qual a mudança que você quer executar. Caso você ainda esteja insegura ou indecisa sobre o caminho profissional que deseja trilhar, eu também te recomendo assistir esse vídeo: Como tomar uma decisão de carreira. https://www.youtube.com/watch?v=XHJKqHnY97E&feature=youtu.be

Então, agora que você já ESCOLHEU RECOMEÇAR, vou compartilhar o passo a passo completo para você fazer uma mudança de carreira DO ZERO.

Vamos lá!

Passo 1: Faça as pazes com o seu passado

Ao decidir mudar de profissão, foque no seu objetivo e desapegue daquilo que não faz mais sentido.

Se você quer mudar de profissão, provavelmente não está muito satisfeita com seu estado atual de carreira e isso quer dizer que as escolhas que você fez lá atrás foram escolhas erradas, certo?

NÃO, errado!

As escolhas profissionais que você fez no passado foram as melhores escolhas POSSÍVEIS naquele momento da sua vida, dentro do cenário que estava vivendo e de acordo com a pessoa que você era NAQUELAS CIRCUNSTÂNCIAS.

Nós estamos em constante mudança e as experiências que vivemos influenciam em quem nos tornamos. Às vezes, a gente pensa: se eu voltasse no tempo eu faria tudo diferente. Mas não faria, você faria tudo igual, porque deu o seu melhor.

Logo, não há motivo para continuar se punindo, se chateando ou se arrependendo. Não gaste suas energias concentrando nas vibrações mais baixas do seu passado, poupe seus pensamentos para FOCAR no seu futuro com o otimismo e a autoconfiança necessárias para realizar o que deseja.

Como sempre digo, sua carreira começa na sua cabeça. Se quiser saber mais sobre isso te indico esse vídeo – Crenças: como a mentalidade impacta sua carreira.

Honre seu passado, AGRADEÇA a si mesma pelo caminho trilhado, pois agora você está preparada para seguir em frente com uma bagagem repleta de experiências e aprendizados.

Passo 2: Olhar para os medos escondidos

O desconhecido sempre nos dá medo, mas nem todo medo é óbvio.

Alguns medos são bem comuns: medo de mudar, de dar errado, de se arrepender, de ficar sem dinheiro, de ser julgada, etc. Esses medos são super claros quando pensamos em trilhar um novo caminho. Contudo, existe uma categoria de medos que talvez você não esteja dando muita atenção que são os medos de ficar onde você está.

Você já pensou alguma vez no medo de não mudar e continuar insatisfeita com a sua profissão? Já se imaginou daqui a um ano continuar convivendo com o mesmo problema ou a mesma insatisfação que está vivendo hoje? Agora se imagina daqui a 5 anos se você ainda estiver paralisada no mesmo lugar sem tomar nenhuma decisão para mudar, como você vai estar vivendo e se sentindo?

Ou seja, existem os medos da mudança, mas existem também os medos da não-mudança. O interessante é que quando olhamos para esses medos escondidos, medos de não mudar, a gente toma CORAGEM.

Passo 3: Criar estratégias para minimizar os riscos

Mudar de profissão sempre vai ter riscos, mas é possível controlar os riscos previsíveis.

Se você tem todos aqueles medos citados no passo anterior, é porque consegue perceber alguns riscos decorrentes da mudança desejada, e isso é natural. Não existem movimentos sem riscos. E eu me aventuro a dizer que não existem grandes ganhos sem alguns riscos!

Então, se existem os riscos, o que vamos fazer com eles? Ficar ansiosa, perder o sono, desencadear uma gastrite? Não precisa!

O nosso medo vem do nosso instinto de sobrevivência e preservação. Desse modo, é muito importante que você olhe para os seus medos e pense que não tem problema esses medos existirem, pois podemos usá-los como precaução. Identificamos os riscos em nosso planejamento e buscamos estratégias para minimizá-los.

  • Se eu tenho medo de ficar sem dinheiro: o que posso fazer para isso não acontecer?
  • Se eu tenho medo dessa carreira não dar certo pelo motivo X: o que eu posso fazer para eu me precaver?
  • Se eu tenho medo do projeto dar errado: o que está no meu controle?

Agindo assim conseguimos utilizar a PRÉ-OCUPAÇÃO a nosso favor. Se você criar estratégias para administrar os seus riscos, sem dúvidas, o seu plano da mudança vai ser muito mais resiliente.

Se você tem dificuldade de olhar para os seus medos com essa proatividade é um sinal que o seu medo ainda está te travando, ou seja, o medo ainda não está conseguindo te mostrar as possibilidades de prevenção.

Passo 4: Fazer uma reserva financeira

Se preparar financeiramente torna a sua mudança de profissão mais segura.

É possível que, durante uma mudança de profissão, você tenha um período de menor retorno financeiro no início. Não é uma regra, mas é comum acontecer. Por isso é essencial que antes de fazer a transição você faça contas para chegar em qual vai ser o seu FÔLEGO FINANCEIRO. Ou seja, quanto você precisa juntar para que a sua transição seja mais segura.

Você conhece o Gustavo Cerbasi? Ele é escritor com vários livros publicados – você já deve ter ouvido falar no livro Casais Inteligentes Enriquecem Juntos -, consultor financeiro, professor, palestrante e administrador, mas também já foi concurseiro e empresário. Sabe o que ele tem em comum com você? Ele também já mudou de profissão algumas vezes ao longo da vida e defende a importância da reserva financeira para diminuir os riscos da transição.

Dinheiro importa e muito. Principalmente porque ele não é simplesmente uma folha de papel, ele representa segurança, liberdade e capacidade de escolha. Por isso, por mais otimista que a gente esteja sobre a transição de carreira, você ainda assim precisa desse fôlego financeiro para você não se desestabilizar emocionalmente no meio do caminho.

Como juntar ou fazer mais dinheiro?

Não existe fórmula mágica. Basicamente você vai ter que optar entre reduzir o seu estilo de vida ou fazer mais dinheiro (de preferência, ambos). Não é fácil, alguns sacrifícios serão necessários, mas é uma etapa essencial de uma transição de carreira. Se mudar de profissão for importante para você, você vai encontrar uma forma de viabilizá-la e para isso descobrirá um jeito viável de juntar dinheiro.

Quer ideias de como fazer renda extra? Confere as dicas do Blog Me Poupe na Web.

Passo 5: Decidir sobre conciliar

Devo conciliar a minha nova profissão com a atual ou devo simplesmente sair da minha profissão atual para entrar na nova?

A resposta dessa pergunta vai determinar o tipo de transição profissional que você deseja realizar:

  • Transição escalonada: você mantém os dois projetos em paralelo por um tempo.
  • Transição abrupta: você sai do trabalho que está para começar o novo.

As duas possibilidades têm pontos positivos e negativos. Não existe uma resposta certa e, sim, uma resposta que se adeque melhor a sua realidade.

Quando você faz uma TRANSIÇÃO ABRUPTA provavelmente você vai colher os resultados da nova carreira mais rápido, simplesmente porque você vai ter focado toda sua energia, dedicação, seu tempo e até seu dinheiro nesse novo projeto. Então, é natural que ele ande mais rápido.

Já a TRANSIÇÃO ESCALONADA funciona bem principalmente para aquelas pessoas que precisam de mais previsibilidade, pois você consegue ver o novo projeto se formando e se sente mais segura para encerrar o projeto anterior.

Mas é preciso ter muito cuidado com uma ARMADILHA. Algumas pessoas ficam “presas” nessa etapa de conciliar os dois projetos muito tempo e perdem o timing da mudança, perdem aquela URGÊNCIA de fazer o novo projeto dar certo.

Então, é muito importante que, se você decidir conciliar, dê o máximo de si. Entenda, realmente, que é um período de dupla dedicação: você vai precisar sacrificar outros aspectos da sua vida. E, ainda assim, estabeleça limites de prazos para que você não perca o timing!

Passo 6: Capacitação

A capacitação constante é INDISPENSÁVEL no mundo atual, especialmente se você deseja mudar de profissão.

Algumas carreiras exigem uma capacitação técnica específica, uma certificação, um curso mais extenso, e outras profissões não. Nesse caso, é importante identificar quais são as exigências técnicas necessárias no novo mercado que você está entrando.

De qualquer forma, ainda que você precise tirar um certificado ou fazer um curso mais longo, hoje em dia todo mundo precisa ser AUTODIDATA. Mesmo que você se matricule no melhor curso dessa nova área ele não vai te ensinar absolutamente tudo, ele não vai te ensinar a aplicar aquilo e ele não vai te manter eternamente atualizada acerca daquele assunto.

Todo mundo precisa aprender a se capacitar autonomamente, seja usando a internet, livros, consultando pessoas, realizando cursos livres, ou seja, tudo que está disponível para desenvolver novos conhecimentos.

Importante: Você não precisa juntar todo dinheiro necessário para você começar a se capacitar. Você pode começar a estudar sua nova área mesmo enquanto você ainda está juntando dinheiro.

Passo 7: Começar sem estar pronta

Você nunca estará pronta, mas nunca pare de melhorar.

Afinal, essa é a única forma de começar. Eu não sei qual é sua nova carreira, mas dificilmente você vai se sentir completamente preparada antes de colocar a mão na massa. Eu falo mais sobre esse assunto no episódio 17 do Podcast Cérebro e Carreira.

A gente estuda, se capacita, planeja, mas boa parte do nosso desenvolvimento está na prática. É por isso que você precisa simplesmente praticar. Se você ainda está indecisa ou insegura é importante você compreender que ficar pensando constantemente sobre a mesma coisa não resolve o seu dilema.

Muitas vezes, a clareza da decisão só aparece quando a gente se movimenta.

Então, é importante COMEÇAR.

Qual é o SEU começo?

Vai depender de qual é a sua nova profissão! Seus primeiros passos podem ser atualizar o seu Currículo ou LinkedIn [site do linkedin], fazer um curso, ler um livro, marcar uma reunião com alguém, começar a prestar algum serviço novo, se inscrever em um curso, pesquisar sobre o mercado…

Enfim, observe na sua nova carreira qual é esse começo e se desafie a iniciar, antes mesmo de você se sentir 100% pronta.

Você deve ter percebido que não existe fórmula mágica para uma mudança de profissão, mas existem estratégias que facilitam esse desafio!