Capacitação: como escolher graduação, pós, e outros cursos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Quando entramos no ensino médio é corriqueiro ouvir a pergunta “qual curso de faculdade você vai fazer?”. Quando estamos acabando, a faculdade nos perguntam em que área nos especializaremos, e assim sucessivamente. Mas como fazer uma Escolha Cuidada da sua capacitação, seja ela um curso técnico, faculdade, pós-graduação, mestrado, doutorado ou qualquer outro curso de capacitação?

Vou compartilhar 3 fenômenos da Neurociência que impactam diretamente nesse processo. 

 

  1. Paradoxo da Escolha: Quanto mais opções, mais difícil a escolha.

 

Atualmente, possuímos infinitas possibilidades de capacitação, carreiras e trabalhos. As gerações passadas possuíam poucas opções e essas poucas opções eram muito conhecidas pelas pessoas. 

Hoje o cenário é exatamente o oposto: possuímos uma infinidade de opções e a grande maioria delas é pouco conhecida pelas pessoas. Além disso, estamos vivenciando o ápice da liberdade individual, de modo que somos menos influenciados socialmente ao escolher a carreira que desejamos seguir.

Ao tentar fazer estas opções, o nosso cérebro tenta analisar mais aspectos e maior é a possibilidade de PARALISAR. Já aconteceu com você? 

Estudos comportamentais realizados em supermercados nos Estados Unidos demonstraram que muitos consumidores deixavam de comprar produtos que possuíam grande variedade de opções de um mesmo produto, pois o processo de escolha é mais custoso energeticamente para o cérebro.

Essa ideia parece não fazer sentido, não é mesmo? Se existem mais opções de iogurtes, por exemplo, cada consumidora escolheria o seu preferido e sairia mais satisfeita do mercado. Esta é uma ótima teoria, mas na prática nosso cérebro fica cansado apenas em pensar em fazer uma escolha.

O nome desse risco é Paradoxo da Escolha: quanto mais opções a gente tem e quanto mais profunda é a análise, mais a gente demora para tomar uma decisão, inclusive correndo o risco de nunca decidir. Pode passar 1 ano, 2 anos, 10 anos e, caso  você se permita estender essa decisão, você vai continuar eternamente na dúvida.

Os dilemas de carreira nunca ficam fáceis, por mais que você tente fazer uma análise cuidadosa das possibilidades. Por isso, a melhor forma de lidar com este paradoxo é colocando um PRAZO para decidir! 

 

  1. Custos irrecuperáveis: O que passou passou! 

 

Muitas vezes, continuamos investindo em algo que sabemos que deu errado, pois ficamos apegadas ao que já investimos. Vou te dar um exemplo: 

  • Você sempre quis ter um foguete e juntou 5 mil reais para realizar esse sonho. Então, você contrata um projetista e te passa o orçamento de 5 mil reais para realizar todo o projeto. Depois de gastar os 3 mil reais, o projetista entra em contato com você para informar que o projeto não deu certo e o foguete não vai conseguir voar. 

Faria algum sentido para você continuar investindo nesse projeto que não deu certo? Você prefere investir os outros 2 mil reais nesse projeto, para não ter que abrir mão do valor já investido, ou abrir mão dele e buscar outras possibilidades? Claro que você NÃO iria continuar investindo em um foguete falido! 

Pois é, é muito comum que as pessoas continuem investindo em um caminho profissional que elas já perceberam que não faz sentido. Eu já ouvi diversas vezes relatos como esses:

  • Ciça, odeio minha profissão, mas estou pensando em fazer uma pós graduação para tentar melhorar meu salário. 
  • Ciça, estou odiando minha faculdade, mas vou terminar mesmo assim, pois já passei da metade do curso.
  • Já que eu investi tanto nessa profissão é melhor eu continuar nela do que começar do zero.

Se você também pensa assim, preciso te dizer: continuar investindo em um projeto ruim não torna ele um projeto bom. O ideal é que você rompa o quanto antes o investimento quando a gente sabe que aquele projeto não é para você, continuar em um caminho falido só te fará perder mais tempo, dinheiro, energia, etc.. 

Tudo que você já investiu (dedicação, tempo, dinheiro, etc.) na sua carreira, não é possível mudar, já aconteceu. Mas você consegue mudar o seu futuro com as escolhas que você começar a fazer a partir de hoje. É preciso aceitar e conviver com o que passou e olhar para o futuro!

 

  1. Meio e Fim: Qual trabalho você quer exercer? 

 

As pessoas acham que a capacitação é o FIM (objetivo) e fazem a escolha com base nisso.  Contudo, a capacitação é, na verdade, o MEIO para o trabalho que você deseja executar. Este trabalho é o FIM que você alcançará por meio da capacitação que você realizou.

Outro erro comum na escolha da capacitação é uma pessoa insatisfeita com o trabalho busca uma capacitação para resolver seu problema. Se você pensa assim, você está equivocada.

Eu recebo muitas mensagens nas redes sociais de pessoas dizendo:

  • “Não gosto da minha profissão, quero fazer uma faculdade de arquitetura”. Respondo essas mensagens sempre com a seguinte pergunta: Você quer SER arquiteta?
  • “Não estou feliz em meu trabalho, acho que vou fazer uma pós em Gestão de Projetos”. A pergunta é: Você quer TRABALHAR com Gestão de Projetos? 

Uma capacitação isoladamente, sem uma estratégia de trabalho, não resolverá seu problema de carreira, inclusive pode ATRAPALHAR sua insatisfação, pois pode vir atrelada a expectativas frustradas e culpa.

Imagine estudar por 2 ou 4 anos algo que não te interessa tanto e não ter utilidade na sua profissão? Você perderia tempo, dinheiro, esforço, e não colheria resultados. 

Portanto, ao invés de escolher o que você deseja estudar, escolha o trabalho que você deseja exercer e, a partir dele, se pergunte qual é a melhor capacitação para esse trabalho. 

Depois de escolher o trabalho, escolha a capacitação! 

  • Pesquise: no Google, no Youtube, nos sites de escolas e universidades.
  • Converse com pessoas da área e peça indicações.
  • Analise o Linkedin de profissionais que atuam na carreira que você almeja e veja o que eles estudaram.

Algumas profissões exigirão capacitações específicas, por exemplo, para ser nutricionista você precisará fazer uma faculdade de nutrição. Mas existem atuações que podem se beneficiar de algum tipo de curso, por exemplo, para trabalhar com marketing você pode se beneficiar de um curso de comunicação ou publicidade. Existem também outros tipos de trabalho que formações online são populares e respeitadas no mercado. 

Você pode fazer muitas coisas, você só não vai conseguir fazer tudo ao mesmo tempo. 

Então, para alcançar todos os seus objetivos recomendo que você faça um Plano de Capacitação de curto, médio e longo prazo para que você consiga ir se capacitando à medida que você pratica o seu trabalho.