8 Sinais incomuns para mudança de carreira

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Você está insatisfeita com o seu trabalho, mas não tem certeza se deve realizar uma mudança de carreira? Tomar consciência do problema é o primeiro passo para que você possa realizar uma mudança. Então, vou te ajudar a analisar sua insatisfação profissional e refletir se este é – realmente – o momento de mudar.

 

1.Ficar mais de um mês sem estudar nada da sua área de atuação

Talvez aqui esteja a chave do seu sentimento de estagnação: se você não busca aprimorar sua técnica, provavelmente você não vai se destacar no mercado e vai se sentir estagnada. Aliado a isso, a falta de aperfeiçoamento inicia um ciclo de desmotivação na sua carreira.

O Ciclo de Motivação consiste em um padrão comportamental que ocorre da seguinte forma: quanto mais você estuda, mais você sente que está se desenvolvendo e o seu crescimento te motiva a buscar mais conhecimento

O contrário também acontece: quanto menos você estuda, menos você se desenvolve e menos motivada você se sente. Desse modo, a tendência é que sua carreira te proporcione menos inovações e descobertas, tornando-se tediosa.

Além disso, uma das características mais importantes do profissional na era da informação é a sua capacidade de autodesenvolvimento, sendo capaz de ser autodidata. Já se foi o tempo em que um curso ensinava tudo que o aluno precisava saber, hoje qualquer formação profissional ensina a base necessária para que a pessoa possa atuar, mas ela precisará se desenvolver por toda a vida, como uma eterna aprendiz. Na era da informação tudo muda muito rápido, a ciência faz novas descobertas todo dia e se você não busca se manter atualizado, acaba ficando ultrapassada.

O estudo e desenvolvimento profissional também te ajudarão na sua autoestima e autoconfiança, pois você estará baseando sua técnica em todo conhecimento adquirido e prática realizada. Quanto mais conhecimento, mais você se sentirá preparada para lidar com os desafios da sua  área de atuação.

 

2. Se pegar pensando no curso que faria se pudesse voltar no tempo 

Lidar com o arrependimento não é fácil, mas ele é muito importante para o nosso desenvolvimento e aprendizado. Contudo, não podemos deixar o arrependimento nos paralisar. Cuide da forma como você ENXERGA o seu passado: você fez a melhor escolha que você PÔDE naquele momento com os conhecimentos que você tinha.

Julgar o passado com o olhar que você tem no presente é ser muito dura com você mesma, pois o olhar que você tem hoje foi construído pelas suas escolhas do passado. Se você tivesse feito outras escolhas no passado, você teria outros resultados e talvez não fosse essa mulher que é hoje. 

Infelizmente o tempo não volta e, como adultas, precisamos lidar com a realidade como ela está dada e não como gostaríamos que ela fosse. Já que é impossível mudar o passado, se concentre em cuidar do seu futuro: assuma a responsabilidade por suas PRÓXIMAS escolhas. E agora, qual o curso que você deseja fazer?

 

3. Odiar conversas sobre carreira em seus grupos sociais

A ciência comprova que nós temos mais chances de prosperar quando nos interessamos genuinamente pela nossa profissão. O interesse genuíno envolve conversar sobre o seu trabalho, às vezes. Além disso, pessoas insatisfeitas com a carreira tendem a reclamar mais do trabalho e não serem tão agradáveis quando o tema é levantado na roda de amigos.

Pense bem: se nenhuma das pessoas dos seus ciclos sociais souberem o que você faz, em que momento de carreira você está, qual é o seu próximo objetivo, elas não vão ter como te ajudar! E é comprovado: as melhores oportunidades profissionais chegam até nós pelas pessoas

 

4. Sentir inveja e diminuir o sucesso das pessoas

Preciso te alertar que é normal sentir inveja… Este é um sentimento que emerge e não conseguimos controlar, mas podemos controlar o que fazemos com ele. O sinal de alerta se acende se você costuma pensar:

“Fulana conseguiu porque…”

“Para Fulana é mais fácil porque…”

Sempre vamos achar a carreira das outras pessoas mais fácil, pois não estamos  vivenciando as dificuldades delas, vemos apenas o sucesso. Todas as pessoas têm PRIVILÉGIOS e LIMITAÇÕES, inclusive você. Mas o que você tem feito com os seus?

 

5. Comprar, comer ou beber além da conta porque “você merece”

Quando estamos infelizes no trabalho, cada hora dedicada a ele é um esforço tão grande que suga todo o nosso autocontrole. Por isso, é bem comum que as pessoas cometam alguns exageros sob a justificativa de que “merece”, pois trabalha demais. Esse comportamento nada mais é que a busca de recompensas para compensar o sofrimento do trabalho.

Acontece que quando passamos a dar um tipo de recompensa – seja ela uma substância química ou uma experiência vivida – ao nosso cérebro repetidas vezes, há o risco de condicionamento do nosso cérebro podendo gerar um dependência ou uma compulsão. 

Nesse caso, considerar uma mudança de carreira que te traga mais realização é melhor que permanecer buscando recompensas, ok? 

 

6. Fazer somente o necessário, nada além disso

Ninguém gosta de se sentir medíocre, inútil, perdendo tempo, desperdiçando seu potencial. É comum pessoas que estão insatisfeitas com a carreira façam somente o necessário, mas esse comportamento só vai te atrapalhar na sua carreira.

Se você não faz a diferença no seu trabalho, por que seus colegas te indicariam para uma oportunidade ou seu chefe te promoveria? A estagnação, como já falamos, vai te desmotivar cada vez mais até você chegar no seu limiar emocional.

Se você gostasse e estivesse envolvida com a sua carreira, iria dar o seu melhor. Além disso, os profissionais mais bem sucedidos são aqueles que aplicam o  overdelivery, ou seja, entregam mais do que lhe é solicitado. Por isso, quanto mais você gosta da sua carreira, mais você se dedica a ela, não apenas com foco no sucesso, visto que aprecia seu trabalho. Então, maiores são as suas chances de sucesso.

 

7. Acreditar que seu mercado é injusto ou está saturado

Atualmente, todos os mercados são competitivos. Obviamente, alguns mais que outros. Se você comparar um profissional de biblioteconomia com um profissional de tecnologia, sabe que uma dessas profissões está em alta demanda e outra em baixa demanda. 

Mesmo assim, em TODOS os mercados, existem pessoas bem sucedidas. Se você quiser se destacar em uma profissão mais competitiva, elabore uma estratégia acima da média! 

Além disso, fazer parte do SEU mercado de trabalho foi uma escolha SUA. Caso você deseje trabalhar em um mercado com mais potencial financeiro, planeje a sua transição. 

 

8. Não ter referências para se inspirar

Se você não se sente motivada a crescer na sua profissão, é hora de revisar suas escolhas!

Uma forma muito interessante de pensar na direção que você deseja seguir é pesquisar referências de sucesso no mercado. Busque INSPIRAÇÃO em histórias que se assemelham ao SEU conceito de sucesso. Pode ser uma pessoa próxima, famosa ou até alguém que já morreu.

Nesse processo você vai notar que as pessoas que servem como inspiração para você também passaram por diversas dificuldades no trajeto e isso vai te ajudar a acolher os seus próprios fracassos.

Se você concluir que é hora de mudar na sua carreira, recomendo a leitura desse artigo sobre planejamento: leia aqui.