5 Recomendações da neurociência para ser feliz no trabalho

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Aqui aprendemos que é possível ser feliz no trabalho, sem deixar de pagar os boletos, né? Então, vou compartilhar com você cinco recomendações práticas da neurociência para você ter mais realização profissional e felicidade na carreira.

Felicidade no trabalho: a proporção de 3×1

Existem milhares de significados para a felicidade, mas aqui vamos nos basear na seguinte definição: a felicidade é a experimentação de emoções positivas. Mas isso não significa que para ser feliz no trabalho você NUNCA vai experimentar emoções negativas ! As emoções negativas são inevitáveis e fazem parte da vida. 

Desse modo, o que buscamos, de acordo com a neurociência, é uma proporção ideal entre emoções positivas e negativas. Ou seja, se você considera que no seu trabalho você experimenta três emoções positivas para cada emoção negativa, você pode se considerar uma pessoa feliz no trabalho. 

Por outro lado, se essa proporção não está adequada e você não tem experimentado três vezes mais emoções positivas do que negativas, talvez seja interessante entender os motivos das emoções negativas e, se necessário, buscar uma mudança que te satisfaça mais. 

O trabalho ocupa grande parte da nossa vida, por essa razão é tão importante que sejamos felizes com a nossa carreira. Diante disso, você deve investigar:

  • O que tem te causado emoções negativas?
  • É possível evitar as situações que tem causado essas emoções?
  • Como você pode, a partir do seu trabalho, experimentar mais emoções positivas
  • Como que seria possível conseguir melhorar a proporção entre emoções positivas e negativas para que você se sinta mais feliz no seu trabalho?

Atitudes prática para ser feliz no trabalho

Uma vez identificados os aspectos que tem te gerado insatisfação, vou compartilhar cinco atitudes que vão te ajudar a aumentar a proporção entre emoções positivas e negativas, de acordo com a Neurociência. 

  • Lista da Gratidão 

A gratidão é uma das emoções positivas mais poderosas na nossa vida. Além disso, todo o estudo de Psicologia Positiva do Martin Seligman comprovou que se você manter uma rotina diária de listar três coisas boas que aconteceram na sua vida, você conseguirá treinar sua gratidão e isso tem benefícios para você não só durante os 3 meses em que você realizar o hábito, bem como após 6 meses após realizar essa prática.

Portanto, se você praticar o hábito da lista da gratidão por três meses, você vai conseguir olhar para o seu trabalho de outra forma.

Realizar a lista da gratidão não te obriga a continuar no seu trabalho atual, talvez você mude de emprego, tome uma atitude diferente ou tente buscar sua felicidade em outro lugar. Mas até para dar esses passos em outra direção você precisará estimular emoções positivas na sua vida, você tem que estar grata pelo que você TEM para poder buscar uma coisa melhor.

  • Fotografia Mental

Essa atitude foi estudada pela neurocientista Christine Carter e consiste em: nos momentos em que viver boas experiências você deverá fechar os olhos rapidamente e tirar uma fotografia mental. Você irá imaginar que está realmente tirando uma foto daquele momento.

Por exemplo, se você receber um feedback positivo no trabalho, chegar em uma conclusão super positiva para a empresa após uma reunião em equipe ou conseguiu fechar um cliente novo. Não importa o que aconteceu, basta que tenha sido uma experiência positiva PARA VOCÊ. 

A Christine defende que quando fechar o olho para tirar a fotografia mental, você deve sentir que aquela emoção está passando por todo o seu cérebro, pois assim tem mais chances de realmente capturar aquele momento na memória, experimentar aquela emoção positiva com mais intensidade e, consequentemente, aumentar o nosso nível de felicidade.

  • Ressonância Positiva

Essa atitude foi descoberta pela neurocientista Barbara Fredricksone e comprovou que as emoções positivas compartilhadas, podem ser amplificadas.

Então, compartilhe suas emoções positivas no seu trabalho com quem você confia e dissemine felicidade por onde passar, além de contribuir para o seu senso de realização

  • Cuide da sua postura

Primeiramente, vale esclarecer que ao falar de postura aqui me refiro ao seu corpo físico. A neurocientista Amy Cuddy provou a existência do mecanismo chamado biofeedback.

Mas como ele acontece? Se eu estou triste, desmotivada, chateada com a sua carreira, provavelmente vou ficar  curvada, falar baixo, olhar para baixo, etc. E o oposto também é verdadeiro, se eu viver e trabalhar sempre com uma postura ruim, com tom de voz baixo e olhando para baixo vai estar cultivando emoções negativas no seu cérebro. 

Portanto, da mesma forma que o seu cérebro impacta o seu corpo, o seu corpo impacta o seu cérebro. Por isso, esse mecanismo é chamado de biofeedback.

  • Prática disciplinada

A Prática Disciplinada foi descoberta pelo Mihaly Csikszentmihalyi através de uma pesquisa realizada com atletas e buscava investigar a paixão que eles têm pela profissão. O fato de você conseguir se dedicar a alguma coisa, a ponto de você se concentrar tanto em uma tarefa que não consegue ver o tempo passar, você quase se mistura com a atividade que está realizando, pois você está muito dedicada e entregue ao que está fazendo.

A prática disciplinada também envolve você conseguir responder a feedbacks. Então, digamos que você fez alguma coisa que foi bem e te fará feliz poder fazer de novo aquela tarefa. Já se você fizer alguma coisa que não foi tão bem, também ficará feliz em melhorar aquilo e, consequentemente, melhorar a sua performance. Esse processo é chamado de Flow, ou traduzido para o português fluxo. 

Se você conseguir encontrar momentos no seu trabalho que você tenha esse tipo de experiência, você vai amplificar as suas emoções positivas e se sentirá mais feliz no seu trabalho.

Gostaria de encerrar o artigo te lembrando que ninguém vai buscar sua realização profissional por você, ok? Faça o melhor, nas suas circunstâncias atuais, para conseguir experimentar bons momentos no tempo dedicado ao trabalho!